quarta-feira, 29 de junho de 2011

Mesa em patchwork - antes e depois

Contei que fiz um monte de coisas no feriado?
Então, uma delas foi uma mesa em patchwork.
Na verdade é uma reciclagem... um banco velho e um tampo achado..kkk
Eu olho as coisas por ai e fico imaginando o que daria pra fazer com elas...
Na verdade achei esse tempo perdido. Minha idéia inicial era transformar num painel para a parede, mas olhando direito, não gostei do tamanho... achei pequena. 
Horrível nesse estado não?

Deixei ela apoiada sobre um banquinho velho e vi que dava uma mesinha legal para jogos, e como não tenho uma, resolvi que ia ter..rs

Durante a execução
Tudo bem que eu não queria que fosse azul marinho, mas eram os tecidos que eu tinha em mãos, então que seja..rs
Resultado final
Esse é o resultado final... eu gostei, agora farei os banquinhos...

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Mandala de papel - passo a passo

Não viajei nesse feriadão prolongado (não pra longe), então resolvi fazer umas coisinhas pro cafofo.
Fiz muitas coisas legais de artesanato, e vou postando na ordem cronológica... vou começar pelo feriado de quinta-feira. Mas antes vou contar minha dificuldade em encontrar lojas de artesanato...
Desde que me mudei pra esse bairro, tenho uma séria dificuldade em encontrar lojas que vendam materiais para artesanato, as que eu encontrei, sempre com pouca variedade. No meu antigo bairro, tinha lojas excelentes, então se faltava alguma coisa ou se dava alguma idéia, era só ir até a esquina que se resolvia tudo rapidinho.
Até que não é longe ir até meu antigo bairro, mas dependo do meu marido pra me levar  porque tenho fobia de dirigir (é confesso isso, é vergonhoso ficar com um carro sobrando na garagem e eu dependendo dele... um dia venço essa fobia...)
Aqui ainda preciso achar o "caminho da mina"...rs
Enquanto não acho, vou me programando e faço a "compra do mês" nas lojas que eu sempre fui cliente.
Bom, nessa de não achar lojas, acabei fazendo umas coisinhas de baixíssimo custo, ou custo zero (caso dessa mandala), com coisinhas que tinha em casa.
Essa mandala é feita de canudos de revista. A idéia inicial era ter um círculo em MDF (do blog da margaretss), mas aqui em pleno feriado, não iria encontrar onde comprar (ou onde cortar) esse círculo. E com meu faniquito (nossa, tirei do fundo do baú essa palavra..kkk) em inventar é maior que eu, então fui modificando e adaptando com o que eu tinha em casa.
Para ela eu usei os seguintes materiais: revistas velhas, tesoura, cola, um cd, palito de churrasco, pistola de cola quente, cola branca rótulo azul, lã, uma bandeja de bolo e uma tampinha de coca cola.
  • Fiz canudos (com a ajuda do meu filhote Pedro - ouvindo música e comendo bolo - depois a fulana aqui reclama que está gorda) usamos como guia o palito de churrasco, colamos a pontinha com a cola de rótulo azul.
  • Depois de uma boa quantidade, cortei as pontas para todos estarem do mesmo tamanho.
  • Na sequência, peguei a bandeja de bolo (que foi do aniversário do marido) e marquei com caneta o círculo central para delimitar onde ficará o "miolo" da mandala, usei o lado "avesso" da bandeja para melhor fixação.
  • Com o centro marcado, dividi em 4 partes para começar a aplicar os canudos com a cola quente, fui intercalando a colagem em cada parte dividida para que a quantidade de canudos ficassem iguais e não sobrasse espaço vazio .
  • Apliquei os canudos até estar completa.
  • Para o miolo, utilizei o cd (era do Harry Potter e estava todinho riscado..rs), usei a lã colorida (lã que sobrou do meu cachecol de dedo) e fui trançando de forma que ficasse todo coberto.
  • Utilizei  cola quente para fixa-lo no miolo da mandala que estava vazio.
  • Entre os canudos e o cd, fui colando com a cola quente contas que haviam sobrado de duas pulseiras diferentes.
  • No centro do cd, colei uma tampinha de coca cola (porque não achei nenhuma miçangona que ficasse legal, mas não esqueci de tirar o timbrado da tampa, viu) e no centro da tampinha uma miçanga laranja.
    Esse foi o resultado final.
    fica parecendo raios saindo, e como a bandeja de fundo é branca, confunde-se com a minha parede.
    Coloquei em cima de um carrinho de bebidas(que já já vou modificar, mas ainda estou amadurecendo a idéia; aceito sugestões), mas esse não vai ser o lugarzinho dela... vou fazer mais uma e coloca-las na parede da escada que vai para os quartos, pois moro num sobrado e o pé direito das escadas é  muito alto e  fica legal colocar em paredes bem longas.
    Eu gostei do resultado... e a custo zero...

    PS: Não reparem na qualidade da foto nem na arrumação do carrinho... minha vontade de postar me impede de tirar fotos decentes..kkk
    Ah,  quem é de Sorocaba, reconheceu a bandeja... é da Sabina  kkkk

    quarta-feira, 22 de junho de 2011

    A saga da faxineira





    Nunca comentei minha saga em conseguir uma faxineira né? 
    Então, desde que comprei essa casa, estou na saga de arrumar uma.
    Tive uma faxineira (o), que era maravilhosa, a Agata...
    A Agata era uma menina que nasceu menino, rainha da parada gay e atriz. Loiríssima, magrinha, alta pra caramba e uma faxineira de primeira. Como ela mesma dizia, estava nessa vida de gata borralheira enquanto o cinema e a tv não a descobrissem. Ela me abandonou porque mudou pra São Paulo onde achava que teria maior chance de ser descoberta, faz uns bicos de faxina por lá enquanto faz novos cursos de teatro (sorte menina!).
    Meu cafofo não é bagunçado e nem sujo, mas é grande  e com duas crianças e com a correria que é a minha vida, uma mãozinha seria bom demais.
    Nesse meio tempo, passaram duas por aqui e foi só decepção.
    A primeira foi indicação de uma amiga de trabalho de uma amiga. Chegou botando banca, dizendo que fazia e acontecia, que estava acostumada a arrumar prédios inteiros. Pensei, opa é isso que eu preciso.
    Já começou reclamando dos produtos de limpeza que eu utilizo, depois reclamou do tamanho dos rodos (um porque era grande demais e outro porque era pequeno demais... vá entender) e terminou reclamando do excesso de vidros.
    Não sou o tipo de pessoa que larga na mão e que se vire, quando eu falo uma mão pra ajudar é uma mão mesmo. Conforme ela vai pegando de um lado eu vou do outro, pra ficar tudo limpo mesmo.
    Acho que ela se aproveitou disso, porque quando eu percebi ela estava no "passo da tartaruga", só atendendo e batendo papo no celular e eu fazendo todo o trabalho pesado: ou seja, paguei pra trabalhar. Detalhe: nas semanas seguintes ela não poderia vir porque ela paga o benefício como autônoma e ela estava se dando férias.
    Entendi isso como um tchau e nem liguei mais, porque além de tudo, ela não havia limpado escadas e nem vidros.
    A segunda então foi pior, veio recomendada pela faxineira da minha amiga Clau (tanto a faxineira quanto a minha amiga não conheciam o serviço dela, mas sabiam que ela tinha dia livre e recomendaram)...
    Chegou toda pimpona, contando que era formada em marketing e que fazia faxina porque odiava a área que havia se formado, e que o marido dava vida boa demais e que ele não entendia o porque dela trabalhar fora porque ela era a deusa dele.
    Fiquei com pé atrás diante de tanto impecilho do benhê dela, mas como ela dizia que ela gostava de fazer faxina, mostrei onde ficavam os produtos e o que era pra ser feito. Calhou de ser semana de provas da faculdade, então dessa vez (e aprendendo a lição da faxineira anterior onde eu trabalhei mais que ela), deixei ela fazendo a limpeza e eu fui cuidar da minha vidinha de estudante, mãe e cozinheira da molecada..rs
    Subi no meu quarto buscar um livro e com que me deparo? Com a dita cuja passando meus perfumes... fiz que não vi mas  ela ainda me pergunta o por que de tantos perfumes, já que eu precisaria de só um e se eu não queria dar alguns pra ela (achei chato pra dedéu).
    Deixei o dia rolar, sem dar um pitaco, mas achei estranho a quantidade de panos de limpeza, pó e chão que ela usou...uns 30 pelo menos. Bom, pra encurtar o assunto ela não limpou (e quando digo limpar, digo dar uma "pincelada"): os quartos dos meninos ela não tirou pó,  não limpou a escada,  pegou o tapete da minha sala de jantar e jogou ágúa (nem sabão passou), os vidros ela passou uma vassoura e ficou pavoroso.  Quando ela  foi limpar a área externa, me perguntou o porque das mesas e se eu não queria dar uma pra ela, porque ela havia gostado tanto!
    Mas isso não foi o pior... o pior foi ela pegar minhas mesas da churrasqueira, empilhar uma em cima da outra, com cadeiras por cima , misturando com os panos molhados que ela havia usado junto com os produtos de limpeza que tinha usado, deixando a área parecida com aqueles caminhões de mudança de carroceria aberta. Fiquei abismada quando vi aquilo.
    Vi que essa não dava também...
    Moral da história: estou fazendo tudo sozinha em casa agora, sumiram faxineiras em Sorocaba. Já falei com amigos, já coloquei anúncio, já postei no facebook e no twitter e nada. Mas minha saga em busca da ajudante não acabou... continuo procurando.
    Podia ser pior se eu não tivesse a Raquel na minha vida (a Raquel é a senhora que passa roupa aqui... um dia faço um post contando uma história muito legal dela).
    Hoje é dia do faxinão...ô saudade da Agata..rs
    Mas vamo que vamo, que o feriado está chegando e eu quero inventar novidades pro cafofo...vou me jogar no artesanato nesse fim de semana prolongado..uhuu...

    segunda-feira, 20 de junho de 2011

    Chita é tudo de bom..


    Se tem uma quinquilharia que é chique é a chita...
    Tem cara de Brasil, alegre, colorido e florido.
    Depois que fiz o post sobre festa junina, lembrei do danado do paninho e fiquei doida pra escrever sobre ele.
    Eu sou simplesmente apaixonada por chita.
    Acho um luxo esse tecido que é tão simples e ao mesmo tempo tão ousado. Pode até parecer batido o tema desse post, mas acho lindíssimo e vale mencionar sim.
    Fuçando na net descobri coisas lindas...
    E vai dizer que não fica lindo??





    Sorteios nos blogs que adoro ler

    a xícara lindinha do sorteio..
    Pessoal, o blog da Arteira Curiosa é uma graça e está com um sorteio fofo... a xícara vermelha de florzinha.
    O sorteio será no dia 21 de julho (pertinho do meu niver... tô torcendo pra ganhar..rs) e está mega fácil de participar:deixar nome, e-mail ou blog, não precisa ser seguidor, mas sim gostar do blog e quem divulgar em outro lugar tem direito a outra chance.
    a borboleta linda..é minha!
    Outro blog linnnndoooo que está com sorteio é o da Iara do blog Negra Criativa e também é facílimo participar, é so comentar...ah, os presentes do sorteio são surpresa!!!E tem o sorteio da borboleta linda linda do blog Eu quero uma casa no campo... vale a pena conhecer o blog também !!!
    Quando eu estiver com 50 seguidores (será que chego lá?), farei o meu primeiro sorteio... ueba!!
    E complementando esse post, tem o sorteio do blog da Maysa (Meu doce lar) também... com mimos fofinhos para a cozinha em comemoração aos 100 seguidores do blog. Parabéns Maysa, que esses 100 amigos se multipliquem muito !!

    domingo, 19 de junho de 2011

    Festa Junina

    Estamos na época de festas juninas. Tem gosto de infância:  a quadrilha, as bandeirinhas, as meninas com seus vestidos, os meninos com suas calças remendadas, e é claro: as bebidas e as guloseimas típicas.  Mas como organizar uma festa junina em casa? Primeiro passo, a decoração:

    Para as bandeirinhas você vai precisar de cola, papel de seda, tesoura  e  barbante.
    1- Pegue uma folha de papel  e dobre ao meio duas ou três vezes, dependendo do tamanho que você quer que elas tenham.
    2- Corte as duas laterais da folha onde estão as dobras
    3- Corte um triângulo na base inferior
    4- Passe um pouco de cola na base superior da bandeira, coloque um barbante e dobre o papel, de modo que cubra o fio por completo.  E assim por diante.
    Depois é só pendurar as bandeiras de uma parede a outra. Você pode fixar o fio com fita adesiva ou pregos como preferir.

    Para a fogueira (de mentirinha, né?):
    Junte gravetos e faça uma base, em seguida coloque  papel celofane nas cores vermelha e amarela para imitar uma labareda de fogo. As de cores laranja também podem ser usadas.

    Decoração da mesa
    Como as festas juninas são sinônimo de vida no campo, deixe sua imaginação livre pra criar: vale toalha xadrez, de juta, de chita, de bolinhas. Pode apostar também em cestinhas de palha  com flores e frutas fresquinhas e limpinhas, canequinhas de ágata, alumínio e cerâmica. Ao contrário de outras festas, onde o clean é mais, numa festa junina, o colorido é que dá o charme.
    E lógico as delícias dessa época...
    Comidas Típicas
    • Arroz doce
    • Amendoim doce
    • Bolo de fubá
    • Bolo de milho com coco
    • Bolinho de mandioca
    • Bolo de milho verde
    • Cachorro quente
    • Cocada
    • Canjica
    • Cuscuz
    • Doce de leite
    • Doce de Abóbora
    • Maça do amor
    • Milho cozido
    • Pipoca com manteiga
    • Pipoca doce
    • Paçoca
    • Pamonha
    • Pé de moleque
    • Pinhão Cozido
    • Torta de banana
    • vinho quente 
    (muito dessas comidinhas, encontra-se pronto em lojas de doces, o que facilita muito).
      E a bebida mais tradicional da festa: o quentão. Segue duas receitas especiais, uma para adultos e outra para as crianças: 

      Quentão Tradicional   

      Ingredientes:1 1/2 xícaras de açúcar
      1 1/2 xícara de água
      50 g de gengibre cortado em fatias finas (1/4 de xícara)
      3 limões cortados em rodelas
      4 xícaras de pinga (aguardente de cana)
      3 cravos da índia
      2 pedaços pequenos de canela em pau
      Preparo:
      • Aqueça o açúcar em fogo alto, mexendo de vez em quando até caramelizar.
      • Junte todos os ingredientes menos a pinga e ferva mexendo até dissolver o açúcar.
      • Junte a pinga, com cuidado, de preferência fora do fogo para não incendiar, misture e deixe ferver em fogo baixo por 3 minutos.
      • Sirva em caneca de barro ou louça, pois as de metal tiram um pouco o sabor do quentão.
      Quentão sem Álcool (Infantil)

      Ingredientes:
      1 pedaço de gengibre
      5 limões
      1 xícara de açúcar refinado
      2 ou 3 pedaços de canela
      Cravos da índia
      Preparo:
      • Corte o gengibre em pedacinhos e os limões em rodelas finas e reserve.
      • Derreta uma xícara de chá de açúcar num caldeirão e mexa até que a calda doure, sem deixar escurecer.
      • Adicione 1 litro de água e continue mexendo com uma colher de pau para dissolver a calda.
      • Junte o gengibre, o limão, cravos da índia e a canela.
      • Deixe ferver por alguns minutos e prove.
      • Pode acrescentar mais açúcar, pois a calda sempre dá um sabor ligeiramente amargo ao quentão.
      Coe numa chaleira e mantenha aquecida, mas não quente demais.

      Agora é só chamar os amigos e curtir as noites de junho...

      sábado, 18 de junho de 2011

      Sonho e sumiço

      É pessoal. dei uma sumida... mas por um bom motivo...rs...
      O final de semestre na faculdade coincidiu com a finalização de alguns cursos de extensão  e uma campanha de doação de cobertores que estou fazendo também, ou seja, virou uma loucura só a minha vida...
      Conciliar filhos, marido, casa e estudos não é fácil não, mas tem suas compensações.
      Quando eu entrei na faculdade, meu caçulinha tinha três meses. Eu o amamentava até chegar o portão, no intervalo meu marido o levava e eu o amamentava no carro de novo e assim foi. Hoje ele está um mocinho (rsrs)  independente com sua mamadeira. Ah, e ele nunca ficou descuidado não... bem alimentadinho, limpinho e amado..rs
       Os sonhos vão mudando.. nessa época meu sonho era conseguir terminar essa faculdade. Hoje meu sonho é com o mestrado. Está valendo a pena o sacrifício de dormir tarde, de ficar  cronometrando o tempo entre lavar a louça, preparar o jantar, fazer uma pesquisa, estudar pra uma prova.. ufa!
      Isso foi um compromisso que fiz comigo mesma: ter um propósito pessoal.
      Nós mulheres quando casamos e nos tornamos mães, corremos o risco de deixar uma realização pessoal de lado. As vezes passamos a vida toda reclamando de falta de tempo, que temos prioridades, que "fica pra depois", e assim vamos deixando a vida passar sem ter um gostinho de vitória própria.
      E  seja ela qual for a natureza da realização - uma faculdade, uma cirurgia, uma viagem...
      A vida vai ficando à sombra dos outros, porque por mais que tenha nosso dedinho  na realização e tenhamos prazer nela, ela não nos pertence...
      Portanto fica a pergunta: o que você tem feito pelo seu sonho?